quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Esperar ou executar?

Não adianta, muita gente espera tudo cair do céu. Pensar em algo grandioso, todos fazem a todo minuto, o que falta nisso tudo é por em prática, é planejar e principalmente executar.

Um plano eficiente é aquele que você enxerga todos os caminhos, analisa muito bem todas as variáveis possíveis e sabe muito bem onde quer chegar.

Ter a certeza do sucesso é virar para o seu desejo e ter confiança de chegar ao fim.




Qual a pergunta extraordinária para a sua vida?



As pessoas precisam pensar diferente para resolver seus problemas. Quando o indivíduo teima em manter seu pensamento, imaginando que a realidade irá se adaptar a ele, gera todo tipo de problema, para si e para aqueles que o cercam. A vida contrai-se em suas diversas dimensões: o dinheiro diminui, as dívidas aumentam, os relacionamentos deterioram-se e a energia pessoal também decresce. Instala-se a sensação de incapacidade de resolver problemas.
A causa dessa situação é que, normalmente, a pessoa busca a resposta para a situação que vivencia, mas se esquece de que deveria refletir melhor sobre a pergunta a ser respondida.
Em outras palavras, a solução começa na capacidade de formular boas questões que, se respondidas, resolvem o problema que martiriza a pessoa.
Qual pergunta que, se for respondida, fará você dar um salto em sua vida?
Sem esse questionamento, em geral, as pessoas acumulam certezas demais. Como aquele indivíduo que sabe explicar a riqueza, mas não é rico. Ou, que sabe por que alguém está em um posto maior que o seu, mas nunca é promovido.
As pessoas estariam em melhores condições, caso se concentrassem mais nas perguntas extraordinárias que precisam formular para achar soluções que ainda não existem. Pensar significa pensar na pergunta, não na resposta.
Charles Darwin pensou por mais de 20 anos para responder a: “Qual a origem das espécies?”
Muitos indivíduos focam tanto a resposta rápida, que optam por uma que possam compreender, em vez daquela que é a verdade. E o fato de você compreender uma explicação não significa que ela seja correta.
Preferem perguntas do tipo “como faço para ficar rico?” a perguntas como “o que devo considerar para enriquecer?”. Ou, “quais pessoas devo escolher e quais rejeitar em minha vida para enriquecer?”. Ou, ainda mais importante, “qual será o propósito de minha riqueza?”.
Tenho muito interesse que pessoas de boa índole sejam capazes de galgar postos cada vez maiores nas empresas e no mundo. A pergunta que está sempre em minha mente é: “Como transformar profissionais competentes em líderes capazes de gerar resultados duradouros?”
Na minha visão, grande parte dos problemas do mundo será resolvida, se indivíduos competentes e de boa índole competirem com desonestos e ganharem deles os cargos relevantes nas empresas e no mundo. Portanto, outra pergunta importante é: “Como levar a cabo o propósito de fazer com que líderes bem preparados se interessem em ocupar posições relevantes no mundo?” Afinal, não adianta o indivíduo se preparar, mas não desejar alcançar postos cada vez maiores.
Portanto, para você ter uma grande vida, pense em qual pergunta extraordinária você deve responder. É ela que poderá gerar o significado para toda uma vida.
O mundo precisa de pessoas que façam perguntas extraordinárias. São elas que conduzem a pensamentos grandiosos. Eles são necessários para levar sua vida, e a de outras pessoas, a soluções para os grandes problemas que vivenciamos nas empresas, nos países e no mundo.
Saibamos fazê-las!
Vamos em frente!

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Deputados: o mistério de como são eleitos

Se eu perguntar a você como um Presidente, Governador ou Prefeito é eleito, na mesma hora vem a resposta simples: o mais votado leva o cargo. E pra Deputado Federal/Estadual/Distrital e Vereador? Para este cargo a situação é outra, pois eles representam o povo, e nem sempre o mais votado do partido leva a cadeira, ou até mesmo o que nem foi muito votado entra no lugar de outro que teve maior preferência. Ãhn? Sim, isso mesmo.

Um ótimo artigo do Portal Administradores, traz essa matemática louca. Como cidadão, é um dever saber como seu representante é eleito.

Muitos perguntam o porquê do Senado não ser assim. Simples. O Senado é a representação dos Estados, enquanto a câmara baixa (dos Deputados) é a representação do povo. No cenário micro (cidades, estados e DF), só temos representação do povo como legislativo, e segue o tal quociente eleitoral.


As eleições para presidente, governador e senador são muito simples: o mais votado ganha a vaga. Já nas disputas para deputado estadual/distrital e deputado federal, os votos dos eleitores não vão apenas para os candidatos, mas também para seus partidos. A eleição de um deputado depende, então, dos votos obtidos pelas legendas e coligações partidárias.
O sistema eleitoral proporcional, que define os eleitos para a Câmara dos Deputados, as assembleias legislativas (estaduais) e a Câmara Legislativa do Distrito Federal, envolve uma série de cálculos para determinar quem serão os representantes do povo nos parlamentos. Por isso, candidatos bem votados podem ficar fora da lista de eleitos, enquanto outros com menos votos podem se eleger.
Entender esse processo é importante para um voto consciente. A seguir, explicamos o passo a passo do funcionamento do sistema proporcional, desde o lançamento das candidaturas até o resultado da eleição.
Coligações e candidaturas
Antes do início da campanha, os partidos podem optar por concorrer sozinhos ou podem se juntar para formar coligações. No caso da formação de coligações, todos os votos dirigidos aos partidos integrantes nas votações para deputados federais e estaduais serão considerados votos da coligação. Partidos e coligações lançam seus candidatos e partem para a campanha.
A votação
Na hora de escolher um deputado estadual ou federal, o eleitor tem duas opções: pode votar em um candidato específico ou dar o chamado voto de legenda.
Para votar no candidato, deve digitar na urna os quatro (para deputado federal) ou cinco (para deputado estadual) números do candidato escolhido, verificar a identificação na tela (nome e foto) e confirmar. Para o voto de legenda, basta digitar os dois primeiros números, que identificam o partido, e a tecla verde. Ambas as modalidades de voto são consideradas válidas e contabilizadas.
Todos os votos válidos são, então, agrupados por partido independente ou por coligação, dependendo do caso.
O quociente eleitoral
Finalizada a votação, passa-se à apuração. Nesse momento é feito o primeiro cálculo usado para a distribuição das cadeiras do Parlamento: o cálculo do quociente eleitoral. O número total de votos válidos para os cargos de deputado é dividido pelo número de cadeiras a serem preenchidas – que varia de 8 a 70, no caso de bancadas dos estados na Câmara dos Deputados, e de 24 a 94, no caso das Assembleias Legislativas estaduais.
O resultado dessa divisão é o chamado quociente eleitoral – que é independente para cada estado. Esse quociente será a base de cálculo para a distribuição de vagas entre os partidos e coligações. No caso de o quociente eleitoral ser um número quebrado, arredonda-se para cima ou para baixo, conforme o caso.
Os quocientes partidários
Obtido o quociente eleitoral, o próximo passo é determinar a quantas vagas cada grupo político terá direito, de acordo com seu total de votos. Para isso, a votação de cada partido independente ou coligação é dividida pelo quociente eleitoral, gerando um novo valor: o quociente partidário. Apesar do nome, esse valor só é próprio de um partido se ele tiver concorrido sozinho. No caso de partidos que fazem parte de coligações, o quociente pertence à coligação como um todo, não a cada partido dela.
O quociente partidário é, enfim, o número de cadeiras a que o partido ou a coligação tem direito. Esse resultado raramente é um número inteiro. Então desprezam-se todos os algarismos depois da vírgula e considera-se apenas a parcela inteira como total de cadeiras a que o grupo tem direito. Por exemplo, se o quociente partidário de um partido ou coligação for 20,5, essa legenda tem direito a 20 cadeiras. O mesmo acontecerá se o quociente for de 20,1 ou de 20,9.
Partidos e coligações que obtenham um quociente partidário inferior a 1 não têm direito a nenhuma cadeira.
As médias
Feita a distribuição de cadeiras aos partidos e coligações que tenham recebido votos suficientes, é possível que ainda sobrem algumas vagas, devido ao arredondamento forçado da divisão pelo quociente partidário. Caso isso ocorra, essas sobras são divididas, uma por uma, de acordo com um novo cálculo, chamado de cálculo das médias.
O número total de votos de cada partido e coligação que tenha conquistado cadeiras é dividido pelo número de cadeiras já conquistadas acrescido de 1. Feita a divisão, o partido ou coligação cujo resultado seja mais alto vence a primeira média, e fica com uma das cadeiras da sobra. O procedimento é repetido para cada sobra, até que todas tenham sido ocupadas. A cada repetição, a legenda que já tenha conquistado alguma sobra tem seu número de cadeiras devidamente ajustado.
Os eleitos
Uma vez que todos os partidos e coligações tenham suas cadeiras definidas, a definição dos ocupantes é o passo mais fácil. Aqui, resgatam-se as votações individuais de cada candidato e desprezam-se os votos de legenda. Cada partido e coligação preencherá as cadeiras a que tem direito com seus candidatos mais votados individualmente, na ordem da votação individual. No caso de coligações, não interessa o número de votos com que cada partido contribuiu: todos os votos são considerados da coligação, e todos os candidatos são agrupados na mesma lista.
Essa lógica faz com que candidatos com poucos votos, mas pertencentes a um partido ou coligação com grande votação, possam acabar eleitos. Afinal, as legendas devem preencher as vagas que conquistaram, e, nesse momento, só interessa a votação de cada candidato relativa aos colegas da mesma legenda, e não seus números no universo total de candidatos ao mesmo cargo. Sendo assim, a presença de um único campeão de votos numa legenda – os chamados “puxadores de votos” – garante a eleição de muitos colegas.
Os candidatos que não ficarem suficientemente bem colocados para assumir uma vaga pelo partido ou pela coligação tornam-se suplentes, e assumem os mandatos dos titulares que se retirarem do Parlamento por qualquer motivo, como renúncia, falecimento ou licença. O suplente com mais votos assume no lugar do primeiro eleito que se afastar, e assim por diante. Com a volta do titular, o suplente deixa o cargo.
Já os candidatos de partidos e coligações que não conquistem cadeiras não terão chance de assumir um mandato, por mais bem votados que tenham sido individualmente. Na distribuição de vagas por legenda, o que importa é a votação coletiva do grupo político. Esse estágio deve ser superado antes da distribuição individual das vagas. Se não for, não haverá cadeiras para os candidatos daquela legenda preencherem com seus votos.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Não tenha medo de mudar. Nunca!

Em meio a muita gente reativa, que espera tudo cair do céu, recebi hoje este artigo. Diria que é uma leitura obrigatória para todos aqueles que querem alcançar qualquer objetivo na vida.
Ser pró-ativo para si mesmo é algo que todos deveriam começar a ser.


Pensamentos geram comportamentos
Pensamentos geram sentimentos e estes geram os comportamentos, ações e promovem suas reações, saber monitorar e até mesmo controlar os pensamentos podem promover uma mudança radical nos resultados, confira os 3 principais passos para controlar seus pensamentos

Entender que são os pensamentos que comandam nossas ações é essencial para aumentar a consciência sobre quais são os pensamentos que dominam a nossa mente, bons pensamentos, ou, pensamentos positivos, promovem bons comportamentos e ações, porém, os maus pensamentos, ou, pensamentos negativos, geram maus comportamentos.
Os pensamentos, em sua maioria, são involuntários, ou ainda, promovidos pelo ambiente que é fator determinante para bons e maus pensamentos. Você já reparou no ambiente que vivem as pessoas, o lugar, a sensação que ele provoca?
Pesquisas com as pessoas mais bem sucedidas comprovam que praticamente todas as pessoas que se destacam em suas carreiras já fracassaram, e muitas delas, por insistir em relacionamentos que enfraquecem os pensamentos positivos, e só conseguiram se destacar e ter sucesso quando saíram de onde estavam e fora em busca de seus objetivos. E onde estão esses objetivos, senão no ambiente apropriado, ou seja, em um ambiente poderoso e vitorioso?
Para destacar de forma objetiva os principais passos para mudar os pensamentos e alinhar os sentimentos e comportamentos em busca de melhores resultados, destaco os 3 principais passos, confira:
1. Mude o ambiente
Quando falo em mudar o ambiente, me refiro à evitar pessoas negativas, lugares deprimentes ou desanimadores, e isso é muito particular à cada um de nós, porém mais importante que mudar o ambiente externo é mudar o ambiente interno, pois antes de mais nada, você vive dentro de você, e se não começar mudando os seus pensamentos, dificilmente mudar o ambiente externo vai resolver.
Algumas dicas para mudar os pensamentos negativos e repetitivos: Se você gosta de uma música, ou se você já teve em sua vida um momento em que foi muito feliz, algum momento de alegria incondicional, ou ainda, se você tem em sua vida alguma pessoa que você ama ou é muito grato, concentre-se nesse pensamento, seja da música, do momento ou qualquer fato que te traga alegria, então, todas as vezes que você se deparar com pensamentos negativos, concentre-se na imagem ou som que traz alegria, e não deixe o pensamento negativo continuar por nem mais um segundo.
Agora com essa estratégia você começa a se blindar contra os pensamentos negativos, então vamos ao passo 2.
2. Passe adiante boas atitudes
Quantas vezes você já se deparou com pessoas mal humoradas, estejam elas trabalhando ou não, quantas vezes você já passou por um pedágio, ou roleta do ônibus, e o cobrador estava mal humorado, reclamando baixinho, e quantas vezes isso "pegou" em você ou em alguém que passou em sua frente?
Passar adiante boas atitudes ajuda a quebrar o ciclo do ódio que está sendo distribuído pelas pessoas de forma inconsciente. Essa atitude causa um efeito borboleta positivo, onde pessoas que são bem tratadas tendem a tratar melhor outras pessoas e desta forma criar uma harmonia por onde passam, para conseguir fazer isso é necessário que você ...
3. Forme um novo hábito
Hábitos são comportamentos que foram desenvolvidos através de constante repetição, e para mudar um hábito somente é possível com a substituição por outro, e aí está um desafio, pois pesquisas comprovam que para adquirir um novo hábito são necessários 21 dias de prática constante, ininterrupta, por isso torna-se um desafio.
A questão é, você quer mudar seus pensamentos? Quer mudar seus sentimentos e por consequência seus comportamentos? Se a resposta é sim, então há uma necessidade de criar um novo hábito referente aos pensamentos, e isso se conquista com 21 dias seguidos de prática, com uma estratégia poderosa.
5 dicas para criar um novo hábito
1. Faça uma estratégia de como vai fazer para mudar o mau hábito.
2. Coloque lembretes de forma que possa consultar e ser lembrados por eles.
3. Afaste da sua mente a vontade de parar de criar o novo hábito, porque esse pensamento certamente virá.
4. Relacione-se com pessoas positivas, bem sucedidas, ou pelo menos com boas intenções de ser bem sucedido.
5. Pense na recompensa que receberá com esse novo hábito criado, e faça uma imagem na sua mente de como sua vida será após a conquista desse novo hábito.
Lembrete importante:

Lembre-se que o comando da sua vida está em suas mãos, ou melhor, em seus pensamentos, crie bons pensamentos e seja bem sucedido, seguir a regra de ouro pode ajudar: “Trate os outros como você gostaria de ser tratado”.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Garmin Connect x Nike Running

Quando começamos correr nem sabemos o que é um relógio com gps, e ai baixamos o Nike+ Running no celular e pronto, começamos.

O app avisa o pace, o quanto foi percorrido, você adiciona amigos e vai juntando todas as suas corridas. Ai você toma gosto pelo negócio e investe em um relógio com GPS, um Garmin. Com isso, fica horrível você correr com o celular, mas ao mesmo tempo você não quer deixar de computar os seus quilômetros no app (e pra nao perder aquela corrida com música, você ja providenciou um mp3 pequeno).

Eis que uma boa alma criou uma interface para transferir suas atividades baixadas no Garmin Connect para o Nike+.

http://www.awsmithson.com/tcx2nikeplus/

Segue um passo a passo para você, enfim, abandonar o peso do celular no braço:

1. Baixe suas atividades para o Garmin Connect;
2. Deixe esta atividade marcada como "Pública" (cadeado aberto);
3. Clique na atividade de copie o endereço que aparece no browser;
4. Acesse o site acima
5. Cole o endereço da atividade, na parte "Garmin Activity ID" e coloque seus dados de login no Nike+
6. Clique em "Convert & Upload".

Outra forma de converter é importar um arquivo "tcx", criado pelo Garmin Connect.

1. Baixe suas atividades para o Garmin Connect;
2. Vá na atividade e clique em "Exportar" e depois escolha "Ficheiro TCX";
3. Acesse o site acima;
4. Carregue na parte "Garmin TCX file" o arquivo previamente salvo;
5. Coloque seus dados de login no Nike+;
6. Clique em "Convert & Upload".

Depois disso, se vc entrar no site do Nike+ ou carregar o app no celular, a corrida já aparece; e assim você não perde suas corridas desde seu primeiro km.

Qualquer dúvida, deixe um comentário neste post.


terça-feira, 10 de junho de 2014

Coloque seus treinos no Garmin



Eu sou aqueles coxinhas que gostam de tudo nos detalhes, como receber a planilha de treinos e já passar toda ela pro Garmin. Sim, dá pra fazer isso, e é ótimo para aqueles treinos intervalados; assim você se concentra melhor,  o relógio apita/vibra e avisa você do que tem que fazer. Ah... e serve para os treinos de corrida e de bike.

Confira se seu Garmin possui essa funcionalidade, creio que somente o mais básico (FR10/110/210) não a possui. Só dar uma olhada no manual dele; depois que você passar a atividade (exercício) para o relógio, é só acessar no menu e dar "start".

Colocarei um passo a passo e qualquer dúvida, deixem nos comentários que vou respondendo. Vou listar desde o básico, que é instalar o programa que faz a ligação do relógio com o computador, e depois os itens no site próprio, o Garmin Connect.

Dá também para colocar as atividades diretamente pelo relógio, é mais chatinho e se tem como colocar via computador, por quê não facilitar as coisas, né?

1) Se cadastre no Garmin Connect
É o site que vc verifica as atividades e também usará para fazer os exercícios. O cadastro é simples e se quiser pode ser feito com link no seu facebook. Caso já tenha cadastro neste site http://connect.garmin.com/pt-BR/ , pule para o passo 3

2) Instalar o Garmin Express
É o programa responsável por toda comunicação entre o relógio e computador. É por ele, depois que vc pluga o acessório ANT+ que faz toda comunicação. Acesse o site http://software.garmin.com/pt-BR/express.html, instale o programa e no cadastro coloque login/senha do seu Garmin Connect (o site que você se cadastrou no passo 1). Usando estiver com o programa instalado, é só ligar o relógio, colocar o plug ANT+ no usb que o programa ja vai reconhecer qual modelo você tem. Se vc ja costuma baixar as atividades do relógio para o computador, pode pular para o próximo passo.

3) Crie os exercícios
Agora começa a brincadeira. Você pode criar exercícios por tempo, distância, batimentos cardíacos e tudo isso em passos.

Como exemplo, vou utilizar a criação de uma corrida assim: 10' aquecimento num pace entre 6:00 e 7:00/km, 5 intervalos de 1,5km a 5:30-5:45/km com 2' de descanso em trote e um desaquecimento de 5' com batimentos entre 110-130bpm.

a) Na tela Planificar, entre em exercícios.



a1) Se você já está no novo layout do Garmin Connect, é só seguir este caminho:




b) No lado esquerdo, clique em 'Novo Exercício'



c) Aparecerá a tela abaixo, e ai começaremos a desenhar a atividade que será realizada. É tudo muito explicado, mas vamos resumir:

- Você poderá dar um nome ao exercício, na caixa demostrada no item 1 abaixo.
- No lado direito, você pode dizer o tipo de exercício: Corrida ou Bike.
- O botão 'Adicionar Passo' insere o que você deve realizar
- O botão 'Adicionar Repetição' insere intervalos, caso você repita a mesma coisa diversas vezes.
- A caixa 'Adicionar Nota' é um campo de texto que você pode colocar qualquer coisa sobre o exercício a ser realizado.
- Acima na figura, o botão 'Duplicar' duplica o exercício todo. Muito utilizado caso um novo exercício que você quer colocar seja muito parecido com algum já existente. Assim, você pode duplicar e somente alterar algumas coisas e economizar tempo.
- O botão 'Adicionar ao calendário' insere o exercício dentro de um dia da semana, assim no relógio você pode ir diretamente no dia e estará o exercício, não precisando selecionar em lista de todos os exercícios que estão no relógio.
- O botão 'Enviar para o dispositivo' transfere para o relógio.
- O botão 'Guardar', como o próprio nome já diz, salva o exercício no seu perfil Garmin Connect.


d) Seguindo nosso exemplo de exercício, vamos colocar o primeiro passo:

Clicando no botão adicionar passo, ele pedirá que você informe 3 coisas:
- Tipo de passo: para seu exercício o que é aquele passo (não influenciará na execução do exercício), é só para uma referência sua.
- Duração: qual a duração deste passo? É por tempo? É até atingir uma distância? É apenas até vc pressionar um botão (LAP)?
- Objetivo: o que o relógio vai controlar e apitar se você tiver fora: batimentos cardíacos? pace? cadência?




Levando em consideração nosso exemplo, vamos colocar o aquecimento de 5' em um pace entre 6:00 e 7:00/km


Feito o primeiro passo, clico em 'Concluído'.

e) Vamos inserir um novo passo e novamente dizer ao site o que faremos, seguindo nosso exemplo proposto, 1,5km no pace de 5:15-5:30/km.


f) Continuando, vou inserir mais um passo para marcar os 2' de trote.


Deixei o objetivo livre, pois como é um trote, nós mesmos podemos controlar a intensidade, e deixo o relógio avisar quando terminar os 2'.

g) Como o exemplo fala que serão 5x fazendo esta sequência (letras "e" e "f"), vou inserir uma repetição, informar quantas vezes farei e arrastar os quadros de qual atividade será feita.


h) Para finalizar, vou inserir o descanso proposto, clicando no botão "Adicionar passo".



i) Como criei todo o exercício, clico no botão 'Guardar' e ele salvará o exercício.



j) Para enviar ao relógio, clico no botão correspondente 'Enviar para o dispositivo'
Ele vai procurar o dispositivo pre cadastrado no passo 2 e clicando no botão 'Enviar exercício' ele faz a transferência (que pode demorar alguns minutos, é só conectar o stick usb e deixar o relogio ligado que ele faz automaticamente).



k) No seu relógio, vá ao menu e procure pelo exercício, e dê executar. Pronto! O relogio a cada novo passo vai apitar e mostrar o que você previamente programou. Caso tenha duvidas onde fica o esse menu (Cada modelo é um lugar), procure no manual qual a sequência de botões que deve ser feita.

4) Qualquer dúvida, deixe nos comentários abaixo. Espero ter ajudado!

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Endorfina em forma de objetivos



Dizem que ao estabelecer um objetivo, seja ele profissional ou pessoal, ele só é real quando vem com um frio na barriga e certa apreensão. 

2014 começou e com ele, na corrida, objetivos firmados: 

- Estreia nos 42km na Maratona do Rio de Janeiro (27/Jul)
- Sub 1h45 na Golden Four Asics - Brasília (09/Nov)

Partiu!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Dólar paralelo, turismo e comercial. Um guia para leigos.

É tanto dólar que os mais leigos, quando viajam, não sabem qual comprar. Na real, você compra fisicamente só um, o paralelo; é esse vendido nas casas de câmbio ou que carregam no seu cartão pre-pago. Essa reportagem ajuda a esclarecer muita coisa. Boa Viagem!



Entenda as diferenças dos vários tipos de dólar


Consumidores que acompanham a cotação do dólar muitas vezes ficam confusos quando veem que, na prática, o preço da moeda americana cobrado em um pacote de viagem ao exterior, por exemplo, não corresponde à taxa vista nos jornais.

Isso acontece porque, no Brasil, a taxa de câmbio é flexível, o que significa que ela é negociada livremente por quem compra e quem vende.

O Banco Central divulga todos os dias uma média das taxas praticadas entre as instituições autorizadas a negociar dólares (bancos, corretoras e agências de turismo), conhecida como Ptax -que serve como referência.

O dólar comercial é usado no comércio exterior, enquanto, para fechar contratos no mercado financeiro, as empresas normalmente levam em conta o dólar à vista.


Já o dólar turismo é aquele usado para emissão de passagens internacionais, pagamento de pacotes de viagens ao exterior e débitos em moeda estrangeira no cartão de crédito. "É o mais alto de todos, cerca de R$ 0,10 a R$ 0,15 acima dos demais", diz Fernando Bergallo, gerente de câmbio da corretora TOV.

"Estamos falando do dólar que não rege só o pagamento de uma viagem, mas também representa dinheiro vivo que o consumidor leva para fora para gastar."
Segundo Bergallo, o que encarece esse tipo de dólar é o custo que as instituições têm para manter as notas físicas, como transporte, custódia e seguro.

Também existe o dólar paralelo, que, como o próprio nome já diz, é o que circula em um meio não oficial, e o dólar a cabo.

ORIENTAÇÕES

As instituições podem cobrar taxas diferentes para o mesmo tipo de dólar. Como o câmbio é livre no país, os bancos e corretoras podem cobrar, por exemplo, uma taxa para a venda por telefone e outra para a venda em loja.

"Vale a pena pesquisar. Muitos comparam apenas os preços praticados por diferentes instituições", diz Guilherme Prado, especialista em câmbio da Fitta DTVM.

Também é essencial ficar atento às taxas. Quem compra dólar em papel paga 0,38% de IOF sobre o valor adquirido. A mesma taxa vale para quem carrega um cartão de débito. Já quem faz pagamentos no cartão de crédito arca com 6,38% de IOF.

Se a aquisição for feita em outra moeda, o valor será convertido em dólar e o cálculo do imposto será feito a partir dessa conversão.

A administradora do cartão vai cobrar a cotação vigente no dia do vencimento da fatura -e não no dia da compra-, podendo usar como referência o dólar comercial ou o turismo.

Fonte: Folha


quarta-feira, 11 de setembro de 2013

5, 10, 16, 21 ou 42km?


Aqui vai um excelente guia de como iniciar ou aprimorar-se na corrida.

Os primeiros 30 minutos de corrida contínua da sua vida podem ser dramáticos. É preciso ter paciência para seguir em frente e focar os 5km. Depois, o desafio passa a ser os 10 km, quando de fato, você já pode dizer para a turma que é um corredor. Passando esse patamar, vêm os 16 km, finalmente, a meia maratona. Se chegar aos 42 km, ninguém mais vai duvidar que você é movido à superação: bem-vindo ao exclusivo clube de atletas de verdade.

Aqui, listamos uma série de ensinamentos com dicas e planilhas para quem quer iniciar na corrida, melhorar o seu tempo ou até mesmo alcançar a tão sonhada maratona. A ideia é dar o suporte necessário a todos os atletas e apoiar quem quer superar os novos desafios em 2013.

Cada uma das cinco distâncias ganhou uma página e você só precisa escolher qual é a sua meta.

Escolha a sua meta:

5 km - (se você quer iniciar na corrida e ainda tem algumas dúvidas sobre o que fazer e como treinar)

- 10 km (conselhos para quem já ultrapassou a barreira dos 5 km e quer chegar aos 10 km)

- 16 km (quer fazer uma pausa antes de correr uma meia-maratona? Corra 16 km)

- 21 km (a meia-maratona é uma das distâncias mais procuradas pelos corredores. Desafie-a)

- 42 km (o estágio final, o grande êxtase do corredor é participar de uma maratona. Saiba como chegar lá)

Fonte: O2/minuto

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Vai viajar? Consulte antes o google das passagens aéreas.


Uma viagem começa no planejamento, e uma postagem no facebook de um amigo rendeu o post de hoje. Com tanta competitividade no meio aéreo, com várias companhias tentando abocanhar qualquer ciente, é de grande valia pesquisar muito, pois nosso dinheiro não vem de graça. Economizar cada centavo na passagem é aumentar o budget para gastar aproveitando mais o destino, e economizar na passagem levando em consideração horário de partida/chegada, tempo de conexão ou local de conexão, possibilidade de stopover (mesmo que seja para dar uma volta na cidade) e utilizar o trecho para milhagem é melhor ainda.

Listamos nada menos que 13 sites que fazem esses comparativos. Vale como pesquisa e,  se quiser, você depois compra direto no site da companhia, ou se exigir trechos em aéreas diferentes vale aproveitar o preço ali apresentado. Use, abuse e viaje!
Muitos desses você pode orçar hoteis também mas, exclusivamente para hospedagem, sempre utilizamos e fazemos reservas pelo Booking.com, muito bom, prático, com ofertas baratas e muitas delas você só paga quando chega ao hotel. O Booking lista também hostels, mas para este nicho temos 2 sites muito bons também: HostelWorld e HostelBookers.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Turismo de compra em São Paulo: como se dar bem na maior cidade do Brasil!




Existem coisas na vida, e também no turismo, que quase ultrapassam o óbvio. Uma delas é o potencial que São Paulo tem para ser um dos grandes polos de turismo de compras do mundo. Com veia para a diferenciação de produtos e comércio ágil, a maior cidade do Brasil é, definitivamente, um dos lugares em território nacional para você ir de malas vazias e voltar para a casa com a bagagem cheia de penduricalhos.


São Paulo tem vários motivos para ser referência mundial em turismo de compras, apesar de seus preços não serem tão chamativos como os de Nova York, por exemplo. Um dos principais motivos que referencia São Paulo é seu polo de moda, industrial e varejista, com bairros como Brás e a Rua 25 de Março fazendo o maior sucesso entre as sacoleiras, brasileiras e internacionais. Não dá para resistir a entrar em espaços tão atrativos quanto esses e não sair sem, no mínimo, alguns mimos para os amigos e outras coisas bacanas para vender, pensando em recuperar depois o investimento. Tal qual as compras que costumamos fazer nos freeshop.

Quem busca por pacotes promocionais de viagens para viver esse tal turismo de compras em São Paulo não se decepciona com o que encontra – mas, muito ao contrário, se surpreende. Afinal, não são as roupas o único bom produto que se vende na cidade. Das lojinhas de bijuterias às mais sofisticadas joalherias, é possível encontrar de tudo nessa cidade mágica. Algo que caiba sempre no seu orçamento e não prejudique os passeios da viagem, que é bom durar muito: Sampa é, simplesmente, a maior cidade do país.

Absolutamente toda a cidade é voltada para o comércio e, claro, cada bairro tem o seu produto específico. São Paulo vende artigos japoneses no bairro da Liberdade, vende diversão na Paulista e vende alta gastronomia – principalmente de origem italiana – por toda a sua extensão, o que nos leva a crer que as possibilidades de passeio são quase infinitas, principalmente para quem passa curtos períodos de tempo na cidade.

A dica para quem vai a São Paulo fazer compras é bater bastante perna, pois você sempre vai achar alguma coisa que vai querer comprar, definitivamente. E quem não quiser tantas coisas para si, mas quiser recuperar o investimento, pode dar uma de sacoleira e fazer a feira nas melhores lojas. Afinal, de onde você acha que vem tanta novidade quando entra naquela lojinha de bairro de acessórios, roupas ou presentes? Se bobear, vem tudo de São Paulo!